Rinzada de Borrego, Couscous de Hortelã e Azeite de Flores de Rosmaninho


Comprei no fim de semana um pequeno frasco de flores de rosmaninho. O rosmaninho ou alecrim tem um aroma característico e único. Os romanos (hoje tenho alguma dificuldade em pensar em Romanos-2 – Sporting – 1) designavam-no como rosmarinus, que em latim significa orvalho do mar.

Tenho da minha infância recordações de fogueiras enormes de rosmaninho que perfumavam o ar das noites de verão. De carne assada na brasa a que se juntava um ramo de rosmaninho ou alecrim e que dava um perfume único à mesma.

Com o frasco em casa, tentei recriar um pouco desses aromas.

A carne teria de ser borrego. Umas costeletas finas da rinzada, que temperei de flor de sal. Uns bróculos e umas cenouras cozidas para acompanhar.

Aproveitei a água da cozedura das cenouras, juntei-lhe um pouco de caldo de carne e no final, bastante hortelã para aromatizar. Utilizei este caldo para preparar os couscous.

Num recipiente pequeno coloquei bom azeite, 3 ou 4 flores de rosmaninho e grãos de 3 pimentas. Fervi em lume brando e no final juntei um pouco de mel que incorporei no azeite.

Grelhei as costeletas em lume bem forte, tendo o cuidado de não deixar passar demais para manter os sucos da carne.

Servi com os couscous que repousaram e cozeram no caldo aromatizado e os legumes.

Reguei com o azeite de rosmaninho e mel, e salpiquei com alguns grãos de pimenta.Ficou muito agradável, o sabor forte do rosmaninho era atenuado pelo aroma da hortelã e resultou num contraste perfeito.

Acompanhei com um  tinto Conventual 2004 Reserva. Um típico alentejano que cumpriu mas sem deslumbrar.

Comente e experimente. Bom apetite.

9 Respostas

  1. Ora nem mais! Deviam estar bem boas. Bom acompanhamento e boa ideia em aromatizar o cuscuz.

  2. Cheio de aromas deliciosos esse prato.
    O rosmaninho e a hortelã devem ter dado um toque campestre, e esse couscous deixou-me encantada.
    P.S. Pois também não me apetece falar em “Romanos” hoje, ai, ai…
    Beijocas

  3. Andou uns dias desaparecido (só aqui das receitas!), mas agora regressou em grande! Gosto imenso de borrego e esses aromas casam primorosamente com ele.
    Estou literalmente com a água na boca!

  4. A descrição está tão boa que até parece que sinto o aroma do rosmaninho e da hortelã a entrar-me pela janela…
    Rinzada são as costeletas do lombo, não é?
    Adorei esta nova maneira de cozinhar borrego!

  5. Ora bem,
    . o frasco de rosmaninho é lindo;
    . a apresentação do prato é nota 20;
    ….pena eu detestar borrego!
    Parabéns pelo blog!|

  6. Excelente apresentação, parabéns! Essa mistura de aromas e paladares deve ficar fantástica. Bjs!

  7. Belo prato e belo vinho! Eu tenho alecrim plantado em casa mas as flores são minúsculas. Talvez, este seja um tipo diferente. E já que estou por aqui você não me indicaria vinhos rosés portugueses de qualidade ?

  8. Um refeição simples com um mise en plat (empratamento) girissimo.
    O conventual não é mau, mas não é dos melhores. Um Monte Velho também n ficava nada mal… ou um Serras de Azeitão tinto…

  9. […] em Novembro 27, 2007 por scalabis Como ainda tinha algumas das flores de rosmaninho que utilizei aqui , decidi-me a uma variação sobre o tema borrego e […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: