Ensopado de cabrito capado dos Amiais


Existe no concelho de Santarém uma freguesia chamada de Amiais de Baixo que aprecio bastante. Habitada por gente genuína, amiga do seu amigo e com um sotaque bastante característico tem nas famosas festas em honra do Mártir São Sebastião um dos seus ex-libris.

Outro, é a maravilhosa carne de capado. Situada no norte do concelho de Santarém, às portas da Serra de Aire, os seus montes e vales, bem diferentes da lezíria ribatejana, são o terreno perfeito para a criação de gado caprino. As carnes ali adquirem um sabor excelente.

As crias são destinadas, se fêmeas, ao aumento do rebanho; se machos, ao abate, quando não em pequenos (cabritos ou borregos), já em adultos. Para um melhor rendimento, mais rápido desenvolvimento e consequente maior peso, “optava-se pela castração dos machos da raça caprina”,  Aos castrados, chamavam habitualmente de “capados” e a sua carne é saborosíssima. Excelente para grelhar na brasa com umas pedras de sal.

Optei desta vez por fazer uma espécie de ensopado com o cabrito capado.

Parti uns bons pedaços da aba e da costela. Escaldei em água a ferver e limpei as gorduras a mais.

Depois deixei a marinar umas horas numa mistura de água fria e vinho branco, sal, rodelas de laranja, dentes de alho, louro e pimenta em grão.

Fiz um refogado com azeite e um pouco de banha, a cebola, alho e louro da marinada, tomate e massa de pimentão.

Juntei a carne e deixei cozinhar. Adicionei cenoura em pedaços e perto do final juntei batatas novas pequenas. Fui rectificando os temperos e juntando um pouco de água conforme a necessidade.

Perfumei generosamente com hortelã. Para fugir ao tradicional pão frito, torrei fatias de pão que perfumei com rosmaninho e azeite.

Servi a carne por cima do pão e as batatinhas a acompanhar.

Harmonizei com um monocasta Syrah da zona de Alenquer.

Este D’Arada de 2005 produzido pela Quinta da Margem D’Arada mostrou ser uma boa opção. Com as características típicas da casta mostrou ser o complemento ideal para os sabores do prato.

Comprei esta e outras no Portal da Vinha e do Vinho de Alenquer sito no antigo Celeiro Real em Alenquer. Uma visita que recomendo pela divulgação dos vinhos da zona e pela recuperação bem conseguida do edifício.

Bom apetite! Experimentem e comentem!

8 Respostas

  1. Bem, para mim vai ser com cabrito ou borrego normaizinhos da silva – lol!
    Parece-me excelente esta forma simples de o cozinhar…
    Beijo.

  2. As pessoas dos Amiais são mesmo assim, unicas.
    Tive um colega dos Amiais no conservatório que ainda hoje me contacta passados estes anos.

    Em relação ao prato, um festival de aromas da terra!

    Bj

  3. Gostei da receita e da sugestão de invadirmos o Caxemira!

    bjs

  4. Esse ensopado tem tudo para ser fantástico; só tenho pena de não conhecer esses cabritos dos Amiais.

  5. Gosto bastante de cabrito .Adorei esta receita
    Beijinhos

  6. O bichinho eu passo mas, os meus parabéns pelo teu Sporting deixo-os aqui!! :o) Eu até sou uma portista fixe, ora diz lá! ahahah

  7. Então se gostaram desse prato tentem provar agora o capado estufado este sim é o nosso exlibris um abraço e obrigado pelo gosto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: