Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Há já algum tempo que não me largava a ideia de juntar estes quatro ingredientes num prato.

Inspirado em receitas como esta e esta e a cujas autoras deixo a minha vénia e a minha admiração decidi-me por uns canelloni. É um prato que os míudos admiram muito e podia assim inovar e agradar-lhes ao mesmo tempo.

Decidido de que a conjugação de sabores e texturas iria resultar avancei.

Usei a carne picada de 4 peitos de frangos, 2/3de farinheira de Almeirim, 2 embalagens de queijo ricotta (pode usar requeijão mas optei por este por ser mais cremoso) e um bom molhe de espinafres. Uma embalagem de canelloni. Farinha maizena, manteiga e leite para o bechamel. Sal, pimenta, noz moscada, alho em pó e mostarda para os temperos.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Numa frigideira larga fritei a carne de frango num fio de azeite. Temperei com alho em pó, sal e pimenta fresca. Juntei algum do recheio da farinheira (sugiro que adapte a quantidade de farinheira à intensidade de sabor do tipo de farinheira que utilizar pois não queremos que o sabor da farinheira em excesso prejudique o equilíbrio do conjunto).

Juntei o queijo e envolvi bem. Adicionei os espinafres levemente escaldados em água com sal. Coloquei mais um pouco de farinheira e rectifiquei os temperos.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Recheei os canelloni com a ajuda de um saco de pasteleiro. Usei canelloni daqueles que não precisam de pré-cozedura pois são mais fáceis de trabalhar.

Fiz um molho béchamel da maneira habitual. Temperei generosamente com noz-moscada e juntei-lhe um pouco de mostarda para equilibrar a “doçura” da farinheira.

Cobri com mozarella e parmiggiano ralado e levei ao forno durante ap. 20 minutos. Servi com uma salada mista.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Acompanhei com um magnífico Rosé da Quinta da Ribeirinha, um produtor de vinhos de muita qualidade da Póvoa de Santarém. Este Vale de Lobos de 2007 é uma excelente opção para estes dias mais quentes. Recomendo vivamente e num próximo post deixarei as notas de prova.

Resultou muito bem esta ideia. Um prato rico e com vários níveis de aroma, sabor e texturas.

Bom apetite. Experimentem e comentem?

Anúncios

Gaspacho dos amigos

Se há prato pelo qual sou louco é o gaspacho. Comi-o pela primeira vez em terras andaluzas nos meus tempos de aficionado tauromáquico e fiquei fascinado com a sua simplicidade e qualidade.

Já fiz e comi gaspacho acompanhando vários ingredientes como o ovo cozido, surimi, carne de sapateira, miolo de ameijoa, uma variedade grande de ervas aromáticas,etc.

A partir da receita base pode adaptá-lo ao seu gosto e confeccionar uma alternativa fresca e muito saudável e saborosa nos dias quentes de Verão.

Esta é a minha última variação sobre o tema.

Gaspacho dos amigos

Usei 4 tomates cucha, 1 pimento vermelho pequeno, 1 pepino pequeno, 1 cebola média, 1 fatia de pão caseiro, 1 dl de vinagre de Jerez, 2 dl de sumo de tomate. Azeite, sal, pimenta e umas gotas de vodka. Pistachios e orégãos para guarnecer.

Cortei o tomate , a cebola, o pepino descascado e sem sementes, e os pimentos em rodelas. Juntei o pão, o vinagre de Jerez, o sal, o azeite e o sumo de tomate. Levei a “marinar” no frio por umas horas e depois triturei tudo no copo misturador.

Passei por um passador de rede bem fino e juntei-lhe umas gotas de vodka. Servi num prato fundo retirado do frio e para substituir os habituais croutons, optei por uns apetitosos pistachios partidos em pedaços num casamento que se revelou muito bem conseguido. Perfumei com orégãos frescos, pimenta rosa moída e um fio de azeite.

Gaspacho dos amigos

Resultou muito bem. A textura crocante e o sabor adocicado do pistachio resultou em cheio com a acidez do conjunto. As gotas de vodka são opcionais (e são mesmo umas gotas) mas emprestam novas variantes de aroma e sabor.

Bom apetite. Experimente e comente!

Figos interessantes

Como cá em casa há um membro da família que se encontra num estado “interessante” tenho-me visto na obrigação de correr mercados e lugares para comprar figos. Quilos e quilos de figos.

Com o frigorífico cheio e o calor a apertar nada melhor que utilizar os ditos para uma entrada deliciosa e fresca.

.Salada de figos

Numa cama de canónigos coloquei os ditos cujos, juntei fatias de bom presunto serrano e lascas de queijo parmiggiano.

Figos interessantes

Temperei com vinagre balsâmico e umas gotas de azeite que levei a ferver com uma casca de limão e deixei arrefecer. Simples, rápido e delicioso.

Para acompanhar bebi um dos meus vinhos preferidos dos últimos tempos. Um Quinta da Alorna Reserva Arinto Chardonnay 2007. Lançado recentemente é um vinho ideal para o Verão.

Quinta da Alorna Reserva Arinto Chardonnay 2007
Um nariz cítrico e fresco do Arinto e amanteigado e de frutos secos do Chardonnay.

Na boca o casamento perfeito entre a frescura e acidez do Arinto, a elegância e maturação do Chardonay e um toque de madeira na qual estagiou por 3 meses.

Bom apetite. Experimente e comente.

Depois de uma fase profissional muito exigente e de umas merecidas e retemperadoras férias, eis-me de volta a este cantinho com vontade redobrada de experimentar e partilhar. Uma palavra de agradecimento aos amigos e visitantes que aqui e através de mail se mostraram intrigados com a minha ausência.