Bolo de melancia?!

Aqui fica uma sugestão de apresentação de melancia. Uma excelente e fresca alternativa ao bolo tradicional. Com umas velinhas até dá para cantar os parabéns ao post nº100 deste cantinho que já viu melhores dias!

È simples e fácil de fazer.

Escolha uma melancia alongada de modo a obter uma secção do meio o mais plana possível cortando os dois topos arredondados.

Se for necessário, rectifique o corte de modo a ficar direito.

Retire a casca verde a toda a volta.

Vá retirando a parte branca em finos golpes, rodando a melancia de modo a ficar o mais arredondado possível.

A melancia ficará assim, em forma de bolo ou de queijo. De seguida a decoração. faça umas bolas de meloa amarela ou verde.

E coloque por cima a toda a volta.

Lamine umas fatias de ananás ou use em lata. Com a ajuda de palitos fixe à volta do “bolo”.

Complete a decoração com rodelas de kiwi, uvas, o que entender.

Sirva e divirta-se com a reacção de míudos e graudos. A frescura da fruta numa apresentação mais cuidada. Ideal para uma festa ou um almoço entre amigos.

Experimente e comente!

Anúncios

Chilli com carne e broa de milho

Este últimos dias, frios e chuvosos, são o pretexto ideal para um prato reconfortante. Daqueles que nos acaricia a alma a cada garfada.

Tinha visto no programa da Nigella Watson, uma morena balzaquiana e roliça que lambuza os dedos enquanto cozinha, uma receita de chilli com carne com cobertura de pão de milho.

Decidi adaptá-la e o resultado foi muito interessante.

Usei:

  • 1kg de carne de vaca picada
  • 0,5 kg de carne de porco picada
  • 2 cebolas
  • azeite
  • 1 lata de tomate
  • 2 latas de feijão encarnado
  • louro
  • 1 colher de chá de garam masala
  • 2 malaguetas secas
  • pimenta da terra dos Açores (opcional)
  • molho inglês
  • ketchup
  • açucar mascavado
  • 2 colheres de chá de cacau
  • alho em pó
  • 1 broa de milho
  • queijo ralado para gratinar

Chilli com carne e broa de milho

Piquei as cebolas que refoguei ligeiramente em azeite. Juntei as especiarias, o alho em pó, as malaguetas picadas, o louro.

Adicionei a carne moída e mexi com um garfo para a separar. Deixei cozinhar um pouco e após juntei o tomate passado. Após uma hora em lume brando, juntei o cacau, o molho inglês, o açucar e o ketchup de modo a temperar a acidez excessiva do tomate e das malaguetas.

Chilli com carne e broa de milho

Juntei o feijão encarnado e deixei apurar o conjunto.

Chilli com carne e broa de milho

Na picadora, piquei uma broa com uma colher de azeite, para ligar e não ficar demasiado seca.

Chilli com carne e broa de milho

Ralei uma boa quantidade de queijo. Usei São Miguel que trouxe dos Açores.

Apaguei o lume da carne  e deixei arrefecer. Deste modo o conjunto fica mais espesso e aguenta melhor a cobertura.

Chilli com carne e broa de milho

Cobri com a broa e por cima coloquei o queijo. Levei ao forno para tostar a broa e gratinar o queijo.

Chilli com carne e broa de milho

Servi, guarnecido com um pouco de pimenta-da- terra dos Açores para dar cor.

Chilli com carne e broa de milho

Ficou assim. Rico em cor e texturas. Untuoso e crocante. Reconfortante e prenhe de sabor.

Cortes de Cima - Trincadeira 2008

Acompanhei com este maravilhoso Trincadeira 2008 das Cortes de Cima. Aroma de ameixa e frutos vermelhos e um pouco de canela. Redondo e frutado na boca e muito suave de taninos mostrou ser boa companhia para o prato e poder evoluir ainda bastante na garrafa.

Experimente e comente!

Grão com bacalhau no tacho

Esta receita é uma derivação da massa à barrão. É simples, rápida e de sucesso garantido.

Grão com bacalhau no tacho

Usei:

  • alho francês
  • ceboleta ou cebola roxa e chalotas
  • alho
  • batatas primor
  • tomate cherry
  • pimentos laranja
  • louro e sementes de coentro, oregãos
  • 4 lombos de bacalhau
  • grão demolhado de véspera e cozido

Grão com bacalhau no tacho

Fiz uma cama com as cebolas e o alho francês.

Grão com bacalhau no tacho

De seguida coloquei os lombos de bacalhau que cobri com o pimento, alhos laminados, as sementes de coentro e os oregãos. Rodeei o bacalhau com os tomates e as batatas.

Grão com bacalhau no tacho

Reguei com bom azeite e refresquei com bom vinho branco. Tapei e deixei cozinhar. De seguida juntei o grão já cozido e por fim juntei um pouco de coentros no final.

Grão com bacalhau no tacho

Fica assim no prato. Colorido e delicioso. Um festim de cores e aromas.

Acompanhei com um Touriga Nacional da Quinta da Alorna. Um monocasta equilibrado, com um final longo e saboroso. Complemento ideal para o prato.

Quinta da Alorna Touriga Nacional

Bom apetite. Experimente e comente!

30º Festival Nacional de Gastronomia – Santarém – 2010 – 16 de Outubro a 1 de Novembro

“A Câmara Municipal de Santarém e a Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo realizam o XXX Festival Nacional de Gastronomia, um dos mais prestigiados certames a nível nacional.De 16 de Outubro a 01 de Novembro visite Santarém. A Casa do Campino volta a ser palco deste Festival em que os visitantes podem degustar os sabores tradicionais dos quatro cantos do País.

Almoços regionais e tasquinhas

O Salão Nobre da Casa do Campino acolhe os almoços regionais, que este ano vão estar representados pelas seguintes Entidades Regionais de Turismo:

16 de Outubro – Entidade de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo

Almoço confeccionado pelas Equipas Olímpicas de Culinária

17 de Outubro – Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal _ Dia de Trás os Montes

Almoço confeccionado pelo Restaurante “Dom Roberto” de Gimonte, Bragança

20 de Outubro – Entidade de Turismo do Oeste

21 de Outubro – Entidade de Turismo da Serra da Estrela

22 de Outubro – Almoço Confeccionado pelas Escolas de Hotelaria

23 de Outubro – Região de Turismo dos Açores

Almoço confeccionado pelo Restaurante “José do Rego”

26 de Outubro – Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal

Almoço confeccionado pelo Restaurante “Foz Velha”

27 de Outubro – Entidade de Turismo Centro de Portugal

Almoço confeccionado pelo Restaurante “Papa Figos”

28 de Outubro – Entidade de Turismo do Alentejo

Almoço confeccionado pelo Restaurante “São Rosas” de Estremoz

29 de Outubro – Entidade de Turismo Norte de Portugal – Minho

Almoço confeccionado pelo Restaurante “O Augusto”

01 de Novembro – Entidade de Turismo do Algarve

Almoço confeccionado pelo Restaurante “Eira do Mel”, Vila do Bispo

Mantendo a tradição de ter representantes de além fronteiras e, particularmente de um País de Língua Oficial Portuguesa, O Festival de Gastronomia acolhe no dia 30 de Outubro o Dia da Galiza, Espanha, cujo almoço será confeccionado pelo Restaurante “O Mariñeiro” com um menu especial “Xacobeo 2010” e dia 31 o Dia da República de São Tomé e Príncipe.

Estão ainda representados nas Cavalariças 1 e 4 os restaurantes “Cortiço” de Viseu, “O Porquinho” de Coimbra, “Tasca Rasca” de Faro, “O Costa” de Vila Real, “O Académico” de Bragança, “O Palhinhas” de Rio Maior, “O Flor” de Gouveia, “Estelas” de Peniche, “Lampião” de Évora, “O Torres” de Vila Verde.

No Pavilhão do Futuro, os visitantes podem degustar diversas especialidades da doçaria nacional, entre as quais os Pampilhos, Celestes e Arrepiados da Pastelaria Bijou em Santarém.

A área dos Claustros da Casa do Campino acolhe diariamente, para além da animação musical e tradicional, uma mostra de artesanato nacional.

A informação, veiculada pelo Vereador da Câmara Municipal de Santarém e Vice-Presidente do Festival Nacional de Gastronomia, António Valente, pode ainda sofrer pequenas alterações.”

Fonte: Câmara Municipal de Santarém

Em breve disponibilizaremos mais pormenores aqui.

Arroz de pato com broa e couve-lombarda

Esta receita é um upgrade ao tradicional arroz de pato. Traz novos cambiantes de cor, sabor e textura e é sucesso garantido.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Usei:

  • um pato caseiro, cravinho, vinho espumante ou champanhe, casca de laranja, uma cebola, louro
  • bacon, chouriço caseiro
  • arroz agulha, couve-lombarda, broa de milho, nozes

Depois de partido o pato e limpo de gorduras excessivas, coloquei-o na panela de pressão. Juntei-lhe uma cebola com cravinhos, meio chouriço de Almeirim.Sal e pimenta. Louro, casca de laranja e cobri com vinho espumante e água. Pode usar vinho branco ou Lambrusco, Asti, e pode juntar também um pouco de Moscatel.

Deixei cozer por 20 minutos. Reservei o liquido da cozedura.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Desfiei o pato. Parti o bacon e o chouriço cozido em pequenos cubos. Branqueei as folhas de couve às quais retirei o talo em água fervente. Cozi o arroz numa mistura de água e do liquido da cozedura do pato,(esta mistura  depende do grau de gordura do pato. Se notar que o líquido está muito gordo utilize menos, pois ainda vai juntar o bacon em cubos ao conjunto) tendo o cuidado de não o deixar cozer demasiado.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Num tabuleiro de ir ao forno, coloquei uma camada de arroz e por cima o pato desfiado.

Arroz de Pato com broa e lombardo

O bacon e o chouriço em cubos.

Arroz de Pato com broa e lombardo

As folhas de couve lombarda bem verdinhas.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Finalizei com mais uma camada de arroz e broa esfarelada. Pode nesta altura polvilhar com umas nozes partidas ou uns pinhões. Eu não o fiz pois o meu filhote Luis é alérgico a frutos secos.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Levei ao forno por uns minutos até a broa ficar crocante. O bacon cozinha e empresta ao conjunto a sua suculência e oleosidade. As folhas de couve funcionam como uma estufa que não deixa o arroz secar demasiado.

Arroz de Pato com broa e lombardo

Polvilhei com umas nozes tostadas na frigideira e pimenta moída.

Arroz de Pato com broa e lombardo

O conjunto fica muito harmonioso. Com diferentes níveis de cor, sabor e texturas diferenciadas que explodem no palato.

Acompanhe com um bom vinho tinto.

Experimente e comente! Bom apetite!


Franguito assado com limão e tomilho

Confesso que ao ver estes franguitos num hipermercado a minha faceta de gourmet se degladiou um pouco com a de ecologista, defensor dos animais e de uma agro-pecuária sustentável.

“Tão pequenitos, nem os deixaram crescer!”- pensei.

Uma leitura mais atenta ao rótulo permitiu-me aliviar os problemas de consciência. Afinal os franguitos tinham sido criado ao ar livre e alimentados da maneira mais natural possível ao contrário dos milhões que morrem nos aviários sem ver a luz do dia. Viveram pouco mas tiveram uma existência feliz e isso viria a repecurtir-se na qualidade e sabor da carne.

Como a gula é um dos pecados mortais e eu sou um orgulhoso e empedernido pecador, os pobres franguitos lá me acompanharam.

A primeira ideia para os cozinhar era na caçarola, tipo Coq au Vin, ou qualquer coisa desse tipo,  mas  ao ver no programa televisivo da minha amiga Nigella uma maravilhosa receita de frango, logo o destino dos franguitos ficou traçado.

Frango assado com limão e tomilho

Usei 3 franguitos, um enorme limão ( use biológicos porque vamos aproveitar a casca), uma cabeça de alhos, um raminho de tomilho e 2 folhas de louro. Vinho branco, caldo de galinha, azeite, sal e pimenta.

Parti os franguitos em pedaços uniformes. Num tabuleiro envolvi a carne com o limão cortado em quartos, sal, pimenta, as ervas e os dentes de alho com a casca.

Dispus os pedaços com a pele virada para cima, refrequei com um pouco de bom vinho branco e juntei um pouco de caldo de galinha. Usei Knorr Natura um novo produto que recomendo vivamente, passe a publicidade.

Frango assado com limão e tomilho

Levei ao forno a cozinhar lentamente, tapando com folha de alumínio nos primeiros 30-40 minutos.

Para acompanhar decidi-me por umas batatinhas no forno. Optei por umas batatas “olho-de-perdiz” que lavei bem com uma escova e parti em quartos. Temperei com azeite,  um pouco de vinho branco, alho em pó, noz moscada, sal, pimenta e alguns orégãos.

Frango assado com limão e tomilho

O aroma a limão e a tomilho que se espalhou pela casa, prenunciava algo de bom! Destapei o frango para tostar a pele.

E ficou assim.

Frango assado com limão e tomilho

E as batatinhas, assim!

Frango assado com limão e tomilho

Servi e acompanhei com uma boa salada de alface e rábano.

Frango assado com limão e tomilho

A carne ficou maravilhosamente tostada  e tenra, embebida dos sucos do limão. Os alhos, cozinhados na casca ganham um sabor mais delicado e o próprio limão ganha níveis de sabor surpreendentes.

Como levei um amarelo da médica nas últimas análises acompanhei com Orangina! 🙂

Bom apetite! Experimente e comente!

Lulas recheadas

Lulas recheadas

Este é mais um daqueles pratos que é sucesso garantido para os pequenos e graúdos.

Comprei na peixaria umas lulinhas frescas que tratei de rechear. Para isso, piquei os tentáculos, ralei um pouco de gengibre um dente de alho e um filete de anchova de conserva.

Recheei os tubos de lula com este preparado e fechei com um palito. Se tiver mais jeito que eu pode usar agulha e fio de cozinha que fica mais bonito, mas eu gosto de sentir no molho, parte do recheio que vá saindo.

Fiz um ligeiro refogado com chalota picada, refresquei com vinho branco e juntei tomate triturado. Juntei as lulas e deixei cozinhar em lume brando.

Temperei com um pouco de garam masala e umas lascas de côco em barra (pode usar leite de côco que é mais fácil de encontrar).  Rectifiquei o sal, (cuidado que a anchova é muito salgada).

Deixei apurar e juntei umas gotas de sumo de lima no final.

Para acompanhar servi umas batatas primor com casca entaladas ao vapor e depois fritas em azeite e uma cama de espinafres bem verdinhos que apenas levei a “murchar” numa frigideira de modo a ficarem ainda crocantes e estaladiços.

Lulas recheadas

Harmonizei com um branco frutado de 2009. O Espírito Lagoalva Branco.

Espírito Lagoalva Branco

“Muito aromático, vivo e irreverente, com notas de citrinos, alperce, apontamentos minerais. Bela presença de boca, misturando notas limonadas e vegetais, equilibrado, com fresca acidez citrina, num conjunto leve, fino, bastante atractivo. Tudo isto com apenas 12% de álcool e um preço revigorante…” … diz a Revista de Vinhos e eu subscrevo.

Bom apetite. Experimente e comente