Chilli com carne e broa de milho

Este últimos dias, frios e chuvosos, são o pretexto ideal para um prato reconfortante. Daqueles que nos acaricia a alma a cada garfada.

Tinha visto no programa da Nigella Watson, uma morena balzaquiana e roliça que lambuza os dedos enquanto cozinha, uma receita de chilli com carne com cobertura de pão de milho.

Decidi adaptá-la e o resultado foi muito interessante.

Usei:

  • 1kg de carne de vaca picada
  • 0,5 kg de carne de porco picada
  • 2 cebolas
  • azeite
  • 1 lata de tomate
  • 2 latas de feijão encarnado
  • louro
  • 1 colher de chá de garam masala
  • 2 malaguetas secas
  • pimenta da terra dos Açores (opcional)
  • molho inglês
  • ketchup
  • açucar mascavado
  • 2 colheres de chá de cacau
  • alho em pó
  • 1 broa de milho
  • queijo ralado para gratinar

Chilli com carne e broa de milho

Piquei as cebolas que refoguei ligeiramente em azeite. Juntei as especiarias, o alho em pó, as malaguetas picadas, o louro.

Adicionei a carne moída e mexi com um garfo para a separar. Deixei cozinhar um pouco e após juntei o tomate passado. Após uma hora em lume brando, juntei o cacau, o molho inglês, o açucar e o ketchup de modo a temperar a acidez excessiva do tomate e das malaguetas.

Chilli com carne e broa de milho

Juntei o feijão encarnado e deixei apurar o conjunto.

Chilli com carne e broa de milho

Na picadora, piquei uma broa com uma colher de azeite, para ligar e não ficar demasiado seca.

Chilli com carne e broa de milho

Ralei uma boa quantidade de queijo. Usei São Miguel que trouxe dos Açores.

Apaguei o lume da carne  e deixei arrefecer. Deste modo o conjunto fica mais espesso e aguenta melhor a cobertura.

Chilli com carne e broa de milho

Cobri com a broa e por cima coloquei o queijo. Levei ao forno para tostar a broa e gratinar o queijo.

Chilli com carne e broa de milho

Servi, guarnecido com um pouco de pimenta-da- terra dos Açores para dar cor.

Chilli com carne e broa de milho

Ficou assim. Rico em cor e texturas. Untuoso e crocante. Reconfortante e prenhe de sabor.

Cortes de Cima - Trincadeira 2008

Acompanhei com este maravilhoso Trincadeira 2008 das Cortes de Cima. Aroma de ameixa e frutos vermelhos e um pouco de canela. Redondo e frutado na boca e muito suave de taninos mostrou ser boa companhia para o prato e poder evoluir ainda bastante na garrafa.

Experimente e comente!

Lombinhos de porco com molho de manga

Este é um dos pratos preferidos dos filhotes lá em casa. É muito simples de fazer e é sucesso garantido

Usei:

  • 2 lombinhos de porco ( pode usar porco preto)
  • 2 mangas
  • vinho do porto rosé
  • cebolinho para decorar

Cortei os lombinhos em pedaços uniformes e levei-os a cozinhar numa wok de ferro bem quente com um fio de azeite. Durante o processo temperei-os de sal e pimenta moída.

Lombinhos de porco com molho de manga

Reservei a carne e adicionei o vinho do porto rosé, mexendo para aproveitar os sucos e os pedaços de carne que ficaram na wok enquanto o alcoól do vinho se evapora.

Lombinhos de porco com molho de manga

Cortei uma das mangas em pequenos cubos e juntei ao molho deixando cozinhar em lume brando.

Lombinhos de porco com molho de manga

Cortei a outra manga em fatias e levei a caramelizar numa frigideira anti-aderente.

Lombinhos de porco com molho de manga

Devolvi a carne à wok para absorver o maravilhoso molho.

Lombinhos de porco com molho de manga

Servi acompanhado de espinafres salteados e batatinhas fritas. Decorei com cebolinho picado.

Acompanhei com um Guinness bem gelada!

Bom apetite! Experimente e comente!

Frango oriental com espinafres fritos

A marinada é uma técnica culinária que utilizo frequentemente. Uma boa marinada empresta às carnes, e não só, novas nuances de aroma, cor, sabor e textura.

Além disso respeitando algumas combinações base podemos variar na marinada. A ideia é quase nunca repetir a mistura.

Uma das carnes que melhora substancialmente após marinar é a de peito de frango. Desta feita optei por uma marinada com sabores do oriente.

Usei peito de frango que parti em pedaços. Óleo de sésamo, molho de soja, um pouco de gengibre fresco ralado, umas gotas de sumo de limão e alho em pó.

Deixei a marinar num saco de plástico ao qual retirei o ar em excesso, tendo o cuidado de ir virando o saco de tempos a tempos para toda a carne embeber a marinada por igual.

Frango oriental com espinafre frito

Passadas umas horas levei os pedaços de frango a cozinhar por instantes numa wok bem quente com óleo de amendoim. Polvilhei com algumas sementes de mostarda.

Na fritadeira, em azeite bem quente, fritei umas folhas de espinafres lavadas e bem secas. Uma boa opção para quem tem crianças em casa.

Os espinafres assim cozinhados ficam muito saborosos e com um aspecto e textura bem sui generis.

Empratei o frango com os espinafres, duas fatias de bacon bem seco e estaladiço e algumas azeitonas.

Frango oriental com espinafres fritos - Amigos do Balde

Acompanhei com uma deliciosa Erdinger Weissbier Dunkel. Uma cerveja de trigo alemã que é um atentado à minha linha e sanidade. Uma das minhas cervejas preferidas.

Bom apetite. Experimentem e comentem!

Entrecosto de porco preto com alho e rosmaninho

Esta é uma receita simples e deliciosa que vive muito da qualidade dos ingredientes.A suculência do porco e os aromas ricos do alho e do rosmaninho.

Entrecosto de porco preto com alho e rosmaninho

Usei umas maravilhosas peças de entrecosto de porco preto. Massa de alho, flor de rosmaninho, sal e pimenta. Bom vinho branco e bom azeite. Uma cabeça de alho e louro. Desta vez utilizei massa de alho de compra mas também pode fazê-la em casa, juntando alho e sal na picadora.

À massa de alho, juntei a flor de rosmaninho,uns pedaços de louro, um pouco de pimenta moída e um pouco de vinho branco.

Barrei generosamente a carne com esta mistura e coloquei-a em sacos de congelação para levar a marinar durante umas horas no frio. Retiro o ar dos sacos assegurando assim um contacto mais homogéneo da carne com a mistura.

Entrecosto com alho e rosmaninho - Amigos do Balde

Coloquei a carne num tabuleiro de ir ao forno. Reguei com mais um pouco de vinho branco e um fio de azeite. Juntei uma cabeça de alho partida ao meio que além de ser deliciosa assim, assada no forno, serve para decorar o prato.

Levei ao forno bem quente até estar bem crocante e estaladiço por fora.

Acompanhei com umas honestas batatinhas no forno e uma boa salada verde.

Harmonizei com um Vale da Torre tinto de 2005. Um vinho do enólogo Paulo Laureano, grande defensor das castas portuguesas. Este típico alentejano mostrou-se uma boa companhia para o entrecosto e é uma boa opção na relação qualidade/preço.

Vale da Torre 2005 - Amigos do Balde

Um grande almoço de Domingo!

Bom apetite! Experimentem e comentem!