Salada de lavagante com citrinos e abacate

Embora o tempo ainda não seja o ideal para saladas é sempre agradável para uma refeição ligeira ou mesmo uma entrada. Inspirado numa receita que vi no programa French Food at Home eis aqui a minha versão com uns ligeiros retoques.

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Comprei dois bonitos lavagantes já cozidos e congelados em água do mar. O Lidl costuma ter uns importados do Canadá que são excelentes mas também pode comprar fresco e cozer.

Usei:

  • 2 lavagantes
  • uma toranja
  • uma laranja
  • um abacate
  • cebolinho
  • um pequeno arelho (alho francês selvagem)
  • manjericão
  • sumo de limão para o abacate

Arranjei os lavagantes e cortei a carne do corpo e das patas em pequenos pedaços.

Salada de abacate com citrinos e abacate

Cortei a toranja e a laranja em pequenos gomos tendo o cuidado de retirar as partes brancas.

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Juntei o manjericão, o cebolinho e o arelho grosseiramente picados.

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Abri o abacate e reguei com sumo de limão para não ficar acastanhado e moldei umas pequenas bolas. Juntei à mistura.

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Temperei com o sumo dos citrinos e um pouco de azeite. Um pouco de pimenta moída, sal refinado e uns filamentos de açafrão. Envolvi com cuidado.

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Acompanhei com um Rosé de Touriga Naciona da Quinta da Alorna!

Salada de lavagante com citrinos e abacate

Resultou muito bem. A doçura do lavagante e do abacate em contraste com a acidez dos citrinos e a frescura das ervas. Muita cor, diferentes texturas.

Experimente e comente! Bom apetite!

Anúncios

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Há já algum tempo que não me largava a ideia de juntar estes quatro ingredientes num prato.

Inspirado em receitas como esta e esta e a cujas autoras deixo a minha vénia e a minha admiração decidi-me por uns canelloni. É um prato que os míudos admiram muito e podia assim inovar e agradar-lhes ao mesmo tempo.

Decidido de que a conjugação de sabores e texturas iria resultar avancei.

Usei a carne picada de 4 peitos de frangos, 2/3de farinheira de Almeirim, 2 embalagens de queijo ricotta (pode usar requeijão mas optei por este por ser mais cremoso) e um bom molhe de espinafres. Uma embalagem de canelloni. Farinha maizena, manteiga e leite para o bechamel. Sal, pimenta, noz moscada, alho em pó e mostarda para os temperos.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Numa frigideira larga fritei a carne de frango num fio de azeite. Temperei com alho em pó, sal e pimenta fresca. Juntei algum do recheio da farinheira (sugiro que adapte a quantidade de farinheira à intensidade de sabor do tipo de farinheira que utilizar pois não queremos que o sabor da farinheira em excesso prejudique o equilíbrio do conjunto).

Juntei o queijo e envolvi bem. Adicionei os espinafres levemente escaldados em água com sal. Coloquei mais um pouco de farinheira e rectifiquei os temperos.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Recheei os canelloni com a ajuda de um saco de pasteleiro. Usei canelloni daqueles que não precisam de pré-cozedura pois são mais fáceis de trabalhar.

Fiz um molho béchamel da maneira habitual. Temperei generosamente com noz-moscada e juntei-lhe um pouco de mostarda para equilibrar a “doçura” da farinheira.

Cobri com mozarella e parmiggiano ralado e levei ao forno durante ap. 20 minutos. Servi com uma salada mista.

Canelloni com frango, farinheira, ricotta e espinafres

Acompanhei com um magnífico Rosé da Quinta da Ribeirinha, um produtor de vinhos de muita qualidade da Póvoa de Santarém. Este Vale de Lobos de 2007 é uma excelente opção para estes dias mais quentes. Recomendo vivamente e num próximo post deixarei as notas de prova.

Resultou muito bem esta ideia. Um prato rico e com vários níveis de aroma, sabor e texturas.

Bom apetite. Experimentem e comentem?